O melhor computador para arquitetura, design e engenharia

Publicado em 31 de julho de 2015 | Por Leandro dos Santos

Computador para Arquitetura, Design e Engenharia                                                                         Atualmente é quase impossível imaginar um profissional da área de arquitetura, design ou engenharia realizando suas tarefas diárias sem o auxílio de um bom computador para utilizar em seus trabalhos e projetos. No entanto, nem sempre os profissionais destas áreas possuem um amplo conhecimento em informática, por isso, na hora de comprar ou substituir um computador novo para uso profissional surge sempre a dúvida: Qual é o melhor computador para arquitetura, design e engenharia?

É pensando nestes profissionais que criamos este artigo com o objetivo de auxiliá-los na hora de comprar um computador pronto ou notebook, com a possibilidade inclusive de montar um computador novo personalizado conforme às suas necessidades, lembrando que o autor deste artigo, Leandro dos Santos, possui cerca de 20 anos de experiência em informática.

Antes de se perguntar sobre qual o melhor computador, você deve saber qual a sua principal finalidade, pois um computador ideal para jogos, embora possua um hardware muito poderoso, não satisfaria as necessidades de um profissional de arquitetura, design ou engenharia.

Com isso, para definir qual será a sua principal finalidade, deve-se avaliar qual a tarefa principal e o respectivo programa que será utilizado na maior parte do tempo, como AutoDesk AutoCAD 2D ou 3D, Autodesk REVIT e o sistema BIM, SketchUp, 3DSMAX, PROMOB, Armedia, Adobe Photoshop, Adobe Fireworks, Adobe Illustrator, entre tantos outros softwares (programas ou aplicativos) utilizados por profissionais de arquitetura, design e engenharia.

Definida qual a aplicação principal do computador, é necessário determinar um valor ou orçamento disponível para investir no novo equipamento. É claro que quanto maior o valor disponível, melhores serão as chances de conseguir um equipamento que atenda e até supere às suas necessidades, pois nem sempre deve-se pensar em apenas atender às necessidades do momento, afinal, com uma configuração que exceda o mínimo requerido você estará economizando a longo prazo, já que no futuro não será necessário substituir o computador inteiro ou seus componentes para atender aos novos requisitos de uma versão mais moderna de um determinado programa essencial ao seu trabalho ou até mesmo do sistema operacional, renovado de tempos em tempos por questão de segurança e estabilidade.

Hardware

Embora a primeira coisa que venha à cabeça de todos que desejam um computador rápido, estável e seguro seja comprar o mais prestigiado (e caro) Mac da Apple, na verdade, já fazem alguns anos que os componentes internos de Macs e Pcs são praticamente os mesmos e geralmente o que é responsável por diferenciar os dois tipos é basicamente o design e a qualidade do acabamento, fatores externos. Lá dentro mesmo, os componentes como processador, placa de vídeo, memória, disco rígido, etc, responsáveis efetivamente pelo desempenho do computador, são basicamente fornecidos pelos mesmos fabricantes para ambos, como Intel, AMD, Nvidia, Seagate, entre outros. A ideia de que os computadores Mac são inevitavelmente mais rápidos, estáveis e seguros vem se tornando a cada dia mais apenas um mito.

Hardwares de Computador

Se para você o design e a aparência do computador não for um fator tão importante que o faça pagar mais caro por isso, focando principalmente na performance do computador, neste caso, um PC poderá ser muito mais vantajoso, pois com o mesmo valor é possível comprar ou montar um PC com configuração muito mais potente que de um Mac, seja um desktop ou notebook.

O fato é que um computador utilizado para trabalho, ainda mais um trabalho pesado como rodar aplicativos de renderização e modelagem 3D, faz com que a máquina fique geralmente a maior parte do tempo a 100% de utilização dos seus recursos de processamento ou muito próximo disso a maior parte do tempo, por horas e horas. Um computador confiável é a chave do negócio, logo, se o equipamento não possuir componentes de qualidade e não tiver sido projetado para tal, com certeza ocorrerá travamentos e falhas que poderão fazer você perder não só todo o seu trabalho mas ainda o seu próprio investimento na máquina, que através de superaquecimento ou variações de tensão ocasionadas por peças de má qualidade, por exemplo, resultarão em redução significativa na vida útil do equipamento.

Processador

Há tempos temos uma bipolaridade no que diz respeito aos processadores, tendo como as melhores opções de processadores os modelos das marcas AMD e Intel, sendo esta última a líder de mercado, embora a performance de ambos seja bem similar com custo relativamente menor da AMD, quando comparados modelos das duas marcas com as mesmas especificações.

CPU - Processador

É importante ter um clock elevado (Ghz ou Gigahertz), mas o ideal, para utilização na maioria dos programas ou aplicativos de desenho 2D, 3D e renderização, é uma quantidade maior de núcleos (cores) e threads. Os “cores” são os núcleos físicos do processador, como se num computador com processador “dual core” existissem 2 processadores. Já os threads são a soma dos cores (núcleos físicos, reais) aos núcleos simulados pelo Hyper-Threading, ou HT. Na verdade, é como se as linhas de código de um programa fossem divididas para serem processadas ao mesmo tempo, algo como você usar um único cérebro (core) para escrever com a mão direita (thread 1) e tomar um café segurando a xícara com a mão esquerda (thread 2).

Além disso, é fundamental ter a maior quantidade de memória Cache no processador, pois esta memória fica no próprio processador e é acessada muito mais rápido do que a memória RAM, geralmente à parte num pente “espetado” na placa-mãe.

Em nossa avaliação, uma CPU (Central Processor Unit / Unidade Central de Processamento) ou processador, como queira chamar, modelo Xeon da Intel, seria uma ótima pedida. Os processadores Xeon da Intel são muito utilizado em servidores, pois possuem maior número de cores (até 8 ou 12 núcleos) do que os modelos destinados à maioria dos usuários como os modelos Intel Core i3, i5 e até i7, permitindo a execução de inúmeros processos ao mesmo tempo sem sobrecarregar ou causar fila no processamento que reduz assim a performance do computador. Claro que existem inúmeros modelos de Intel Xeon e você poderá inclusive, comparar suas características à de outros modelos de outros fabricantes, como a linha Opteron da AMD, também destinado à servidores, com vários núcleos ou cores e comparar os valores de mercado. Os processadores da AMD normalmente apresentam performance similar aos da Intel, desde que comparados com especificações técnicas similares, porém, muitas vezes os processadores AMD são mais baratos.

Memória

Sempre, quanto mais memória RAM, melhor. Porém, não basta tê-la em grande quantidade, é necessário verificar a frequência de operação (a velocidade de transferência de dados, quanto mais elevada melhor) e a latência (tempo de resposta, logo, quanto menor, melhor).

Pente de memória RAMTenha em mente que todo programa ou arquivo aberto na tela foi carregado do HDD/SSD e alocado na memória RAM, que permite acesso mais rápido por parte do processador. Quanto maior a quantidade de memória, mais informação poderá ficar à disposição do processador para consultar em tempo real sem precisar acessar o HDD/SSD que é muito mais lento. Depois de fechar o arquivo ou programa, o conteúdo alterado volta para o HDD/SSD, algumas vezes gerando fragmentação de arquivo, por isso é importante utilizar o Desfragmentador de Discos no Windows.

Quanto maior a frequência de operação da memória, mais rápido o conteúdo poderá ser acessado ou escrito na memória RAM. Já a latência diz respeito ao tempo de resposta quando uma informação é solicitada pelo processador. Logo, quanto menor o tempo de resposta, quando o processador solicitar alguma informação localizada na memória, mais rápido ele receberá uma resposta.

Placa de vídeo

É de suma importância ter uma placa de vídeo dedicada, ou seja, para trabalho de desenho 2D, 3D e renderização jamais utilize uma placa de vídeo onboard (integrada à placa-mãe e que compartilha dos recursos do sistema principal, como processamento e principalmente memória). Uma placa de vídeo dedicada é praticamente um sistema independente dentro do seu próprio sistema, afinal, ela possui processador próprio (GPU – Graphics Processor Unit ou Unidade de Processamento Gráfico), memória RAM própria, entre outros componentes, sendo que muitas vezes os componentes da placa de vídeo são inclusive mais rápidos e avançados do que o restante do seu computador, talvez por isso, muitas vezes o valor de uma placa de vídeo dedicada chega custar o dobro, triplo, ou até várias vezes o valor do computador completo.

Além disso, é muito importante ter muita memória de vídeo e quanto mais rápida a memória, melhor. Para isso, é muito importante verificar o clock das memórias (frequência de operação). Basicamente entenda que a memória de vídeo GDDR5 é mais rápida que GDDR4 que é mais rápida que GDDR3 e assim por diante.

Preste atenção também na largura de banda, que é como a quantidade de faixas de rolagem em uma avenida. Existem várias placas disponíveis no mercado com preços muito baixos, porém, com memórias de 64 bits. Placas de 128 bits tem o dobro de largura de banda do que as de 64 bits e as de 256 bits o dobro de largura em relação as de 128 bits.

Placa de vídeo dedicada

O ideal é encontrar um ponto de equilíbrio entre a velocidade da memória e a largura de banda, afinal, não adianta dirigir uma Ferrari (memória rápida) em uma via totalmente congestionada devido à muitos carros (dados) e poucas faixas de rolagem (largura de banda limitada). Este ponto de equilíbrio também deve ser buscado levando em consideração o restante do computador, caso contrário, pode-se gerar um gargalo, fazendo com que todo o investimento em uma placa de vídeo super potente seja desperdiçado pelo restante do conjunto não permitir utilizar 100% do que ela tem a te oferecer.

A placa de vídeo destinada ao profissionais de arquitetura, design e engenharia precisa ter elevada performance de ponto flutuante de precisão, mais alta do que as placas convencionais, o ponto flutuante de precisão dupla. Este item citado é responsável pela aproximação que o computador realiza em relação às medidas, pois os sistemas digitais tendem a “arredondar” a extensão, logo, quanto maior a performance em relação ao ponto flutuante, maior a precisão e resolução de dados, sem omitir dígitos e dados significativos para o usuário profissional que aos leigos ou usuários domésticos não teriam a menor importância.

Mais uma vez, como citamos anteriormente, o equipamento mais potente para jogos, por exemplo, não é o mais adequado para uso profissional e vice-versa. Por isso, muita atenção na hora de adquirir sua placa de vídeo, pois quando solicitar uma placa de vídeo potente, muitos vendedores indicarão uma placa de consumo para gamers e que não atenderá às suas necessidades.

Nós recomendamos para uso profissional em CAD (Computer Aided Design ou Desenho Assistido por Computador) as placas de vídeo com processador gráfico (GPU) Nvidia Quadro, mas você também pode optar por placas de vídeo com processador gráfico AMD FirePro. Estes são  modelos de placas de vídeo projetados, construídos e testados para profissionais da indústria de transformação, produção e engenharia, muitas vezes otimizadas para programas específicos como AutoCAD, por exemplo, onde há parcerias para o seu desenvolvimento em conjunto entre os fabricantes de placas e desenvolvedores dos programas.

Armazenamento

Armazenamento - HDD / SSDPara armazenamento, pensando neste instante exclusivamente no sistema operacional, nos programas instalados e nos arquivos utilizados no dia a dia, recomendamos um dispositivo SSD (Solid-State Drive ou Dispositivo de Estado Sólido) que nada mais é do que um dispositivo similar aos cartões SD com alta capacidade de armazenamento. Neste caso, os dados não são armazenados em discos magnéticos como nos HDDs, mas são armazenados em chips especiais, sem dispositivos mecânicos.

Se comparados aos HDDs (Hard Disk Drive ou Dispositivo de Disco Rígido) convencionais, são inúmeras as vantagens dos SSDs, como:

  • Menor peso;
  • Maior velocidade na leitura e gravação de dados;
  • Menor consumo de energia;
  • Ausência de ruído e vibração;
  • Maior resistência a impactos;
  • Maior vida útil e confiabilidade.

Como neste segmento, dos profissionais de arquitetura, design e engenharia o volume de dados é muito grande, quanto maior a velocidade de leitura e escrita do dispositivo de armazenamento, melhor a performance do conjunto como um todo.

Mas como citamos, recomendamos o SSD para utilização na instalação do sistema operacional, dos programas e apenas dos arquivos utilizados no dia a dia. Para armazenamento de demais conteúdos, não utilizados constantemente, como backups, recomendamos um HDD convencional para uso interno num Desktop ou preferencialmente Externo, que pode ser levado para qualquer lugar, guardado em locais seguros e também utilizados por Notebooks, Tablets e até Smartphones. Um dos principais fatores pelos quais indicamos o uso de um HDD para armazenamento de grandes quantidades de informação e dados é devido ao preço, pois hoje um SSD de 250 Gb custa o equivalente ou ainda mais caro que um HDD de 1 Tera (1.000 Gb).

Fonte de alimentação

Nos desktops (computadores de mesa), de nada adiantará se você tiver um super sistema, com hardwares “parrudos” e potentes sem que possam ser devidamente supridos de energia. Se não houver o suprimento adequado de energia aos componentes do computador, poderá ocorrer instabilidade durante sua utilização e até queima dos componentes internos.

Fonte de energiaÉ fundamental calcular o consumo do sistema em Watts e verificar o quanto sua fonte de alimentação poderá oferecer sem que hajam oscilações de  voltagem durante a utilização do sistema, principalmente em prolongados períodos de tempo com alto consumo de energia.

Hoje, no mercado, há uma vasta gama de fontes ditas “genéricas”, geralmente de origem chinesa, que sempre entregam de 30 a 50 % menos potência do que o prometido no seu rótulo. Também há as fontes ditas “reais” de marcas renomadas e de qualidade reconhecida que sempre entregam exatamente a potência anunciada ou algo próximo acima do anunciado.

Além da enorme diferença entre o que é prometido e o que é entregue quando comparamos fontes “genéricas” e fontes “reais”, há também uma grande diferença de preço e claro, de qualidade no que diz respeito à durabilidade e vida útil da fonte. Lembre-se, a vida útil da fonte pode não determinar apenas o seu fim numa eventual falha, mas também “levar” todo o conjunto através de um curto circuito, queimando processador, placa-mãe, memórias, placa de vídeo, HDDs ou SSDs, etc.

MonitorMonitor ou Tela

Definição e fidelidade das cores, algo básico para os profissionais de arquitetura e design, além do tamanho da tela são pontos relevantes na hora de escolher o monitor ou notebook em razão de sua tela.

Existem ainda monitores especiais para profissionais que trabalham com PTC, AutoCAD, SolidWorks ou outro software de CAD / CAM, como o Benq BL2710PT de 27 polegadas, lançado em 2014, com resolução WQHD (2560×1440 pixels) e mais PPI (pixel por polegada). Este monitor permite girar a tela, possui uma tecnologia que elimina a cintilação dos níveis de híbrido, evitando o cansaço dos olhos. Outra característica é um sensor que detecta os níveis de luz proporcionando um melhor ajuste no brilho de tela.

Sistema operacional

Tão importante quanto o Hardware do seu computador novo, é o sistema operacional que será utilizado para permitir rodar toda a gama de programas e aplicativos do seu trabalho. Portanto, verifique se os programas essenciais para o seu trabalho possuem versão para o sistema operacional que utilizará no seu computador novo, seja Windows ou Unix (OSX ou Linux).

Basicamente, hoje, temos o mercado dividido entre três principais sistemas operacionais:

  • Windows: O mais popular dos sistemas operacionais no mundo, atualmente está na versão Windows 10;
  • OSX: Sistema baseado em Unix “exclusivo” dos dispositivos Apple, atualmente na versão OSX Yosemite;
  • Linux: Popular entre servidores, basicamente o Linux é na verdade o coração das distribuições, entre as mais conhecidas podemos citar Red Hat, Debian, Slackware e Mandriva, além de derivações como Ubuntu, Fedora, CentOS, entre tantos outros.

PC com Microsoft Windows versus Apple Mac com OSX

Embora seja possível e muitas vezes interessante utilizar Linux para rodar aplicações de arquitetura, design e engenharia, como CAD, CAM ou Renderização, devido a pouca publicidade realizada acerca das distribuições Linux, geralmente gratuitas, são muito poucos os usuários que têm familiaridade com o sistema e por isso, deixam de utilizá-lo, procurando algo mais “fácil”. Por isso, como atualmente o Linux é o menos popular entre os arquitetos, engenheiros e designers, vamos concentrar nossa seção sobre sistemas operacionais Windows, mais amplamente utilizado nos PCs e OSX utilizado nos computadores da Apple.

Desempenho e Estabilidade

Um dos fatores que ainda tornam o OSX mais estável e rápido é exatamente a qualidade do hardware presente nos computadores da Apple, perfeitamente justificado pelo seu preço elevado. Logo, se você tiver um PC com componentes de qualidade equiparável e as mesmas especificações técnicas dos utilizados em um Mac, a performance entre o Microsoft Windows e OSX, da mesma época, será praticamente a mesma, desde que rodando nas mesmas condições.

Talvez há cerca de 15 ou 20 anos atrás, quando os computadores da Apple utilizavam processadores IBM PowerPC e os demais concorrentes só contavam com os primeiros Intel Pentium à sua disposição, talvez naquela época os Macs fossem realmente muito mais rápidos que os demais PCs. Mas hoje, a realidade é bem diferente, pois tanto a Apple quanto os demais PCs utilizam a mesma linha de processadores AMD ou Intel Core i3, i5 e i7.

Com isso, se compararmos hoje os sistemas da Microsoft, tanto Windows 7, Windows 8.1 quanto o até mesmo o novo Windows 10 com o sistema operacional atual da Apple, o OSX Yosimite, a performance será exatamente a mesma e a estabilidade também, desde que rodando com a mesma especificação de hardware e softwares instalados. É claro, que a necessidade de utilizar um programa antivirus no Windows torna o sistema mais carregado, mas dependendo do software escolhido, da sua configuração e do hardware do sistema, muitas vezes o impacto é mínimo.

Segurança

Primeiramente, temos que ter em mente que não existe sistema operacional perfeito, logo, todos, sem exceção, estão sujeitos a falhas no código (bugs) e consequentemente a travamentos e brechas de segurança que permitem perca ou vazamento de dados, seja pela ação de um vírus, programas maliciosos  ou até de hackers. Assim, quanto mais popular for um sistema, maior será a quantidade de ataques ou programas maliciosos (vírus, spywares, malwares) direcionados à ele, afinal, nele será mais provável o sucesso da ação em razão da maior quantidade de computadores utilizando este sistema. Podemos considerar este um dos fatores que tornam os sistemas baseados em Unix menos vulneráveis, porém, quanto mais populares se tornarem os Macs, aumentarão o número de ataques e talvez por não estarem habituados com a possibilidade de serem infectados por vírus ou até mesmo invadidos, a ausência de bons antivírus e firewall poderá talvez tornar estes sistemas um prato cheio para quem desejar invadi-los ou roubar suas informações.

Conclusão

Claro que você terá que considerar tudo o que já foi citado acima, como a finalidade específica do equipamento, suas necessidades e disponibilidade financeira para investir um certo valor no equipamento novo, colocando tudo isso numa balança e pesando cada item. Porém, seja qual for a sua decisão, opte sempre por marcas renomadas e de qualidade reconhecida. Como os antigos já diziam “o barato sai caro e o que é bom custa dinheiro”, mas nem por isso jogue dinheiro fora comprando algo apenas pela aparência ou fama, nem invista em algo muito além de suas necessidades, até porquê a evolução na informática, com o surgimento de novas tecnologias é muito constante e equipamentos de ponta tendem a se tornarem obsoletos em poucos anos.

Desde que você opte por um fabricante reconhecido pela qualidade de seus produtos, como Apple, Sony, Dell, Asus, HP, Lenovo, Samsung ou Acer, por exemplo, você terá quase sempre os mesmos componentes internos, com isso, com qualidade e performance similar, então, leve em consideração as dicas que demos acima sobre processadores, memórias, armazenamento, placas de vídeo e sistemas operacionais, optando pelo que houver de melhor relacionado à estes itens com o preço final cabendo no seu orçamento, assim, terá feito a melhor aquisição possível atendendo às suas necessidades em gastar mais do que o necessário.

Fonte: http://www.guiadaobra.net/artigos/o-melhor-computador-para-arquitetura-design-e-engenharia/#more-278

1 comentários:

Emanuel Lopes on 4 de agosto de 2017 07:52 disse...

Boa. Quer isto dizer que não preciso necessareamete apostar na marca e computador mais moderno e caro?
Pois penso sempre que os mais modernos e caros, são os melhores PCs para se trabalhar em projectos de arquitectura(2 e 3D).

 
IAB Tocantins Copyright © 2009 Blogger Template Designed by Bie Blogger Template
Edited by Allan