Quero fazer Mestrado em Urbanismo mas não sei como começar. O que fazer?

by 

Foi sofrido, mas eu consegui :)


Muitos ex-alunos e amigos vêm falar comigo sobre o que fazer depois da tão sonhada formatura. O que eu mais indico depois de uns meses “na boa”, esquecendo a surra que você levou do TCC, é um Mestrado.
Mas o melhor não é fazer uma especialização? Para quem quer seguir na área do Urbanismo, nem sempre é o melhor caminho.
Digo isso porque os Mestrados em Urbanismo geralmente são desapegados do projeto urbano. A carga teórica é muito maior. E considere que as especializações servem para aperfeiçoamento em alguma área específica de sua formação e atuação profissional. Para resumir, um Mestrado contempla o todo e pode te ajudar a médio e longo prazo. A especialização, uma pequena fatia do bolo e te ajuda a curto prazo .
A minha experiência talvez possa ilustrar um pouco do drama que muitos passam nesse momento. Terminei minha graduação em Ciências Sociais em julho de 2009, e queria logo encarar um Mestrado. Como a maioria dos cursos de Mestrado só tem uma seleção por ano (geralmente entre agosto e fevereiro, depende de curso pra curso) tinha um tempinho para pensar no que fazer.
Se você quer começar um Mestrado em 2016, agilize-se! Os processos seletivos estão começando a selecionar candidatos!
charge-estudarEra um Cientista Social que queria seguir na área de Sociologia Urbana. Pesquisei todos os Mestrados em Sociologia da minha região (sul do Brasil). Nenhum deles era muito amigável para minha proposta (“fucei” em todos os sites dos cursos para entender quais eram os professores, as linhas de pesquisa, etc. –regra principal para o primeiro passo rumo ao Mestrado).
Passei então a procurar Mestrados em Urbanismo. Talvez você tenha a mesma vontade, mas precisa tomar cuidado: nem todos os Mestrados de Arquitetura e Urbanismo possuem uma linha específica para o Urbanismo e o “engolem” da mesma maneira que muitos cursos de graduação por aí! O jeito é pesquisar! Veja os sites das Universidades da sua região. Dê preferência para as públicas, que geralmente possuem vários cursos de Mestrado, melhor conceituadas junto ao MEC, são gratuitas, e podem te oferecer bolsas! Vale muito a pena mesmo se você tiver que viajar para estudar (eu fazia um bate-volta de 180km toda semana) ou mudar de cidade caso você ganhe bolsa (existem repúblicas prontas para acolher um mestrando).
Importante: geralmente ganham bolsas os melhores colocados nos processos seletivos de cada curso de Mestrado.
Como isso funciona?
O processo seletivo para Mestrado varia de curso para curso, instituição para instituição. Você deve ficar atento ao edital de chamamento que dá as diretrizes de todo o processo. Na minha visão após anos conhecendo os cursos de Mestrado no Brasil, a maioria tem a seguinte rotina:
  • Proficiência em inglês – você tem que fazer uma prova para dizer que sabe ler e escrever em inglês. Cada curso tem uma regra para aplicar a prova, podendo ser em um departamento de Letras que aplica uma prova geral ou uma elaborada pelos próprios professores do curso com questões específicas (a primeira é mais fácil, né?);
  • Prova escrita – geralmente o edital explica quais livros você deve estudar para se dar bem na prova;
  • Projeto de pesquisa – é a parte mais complicada, que com certeza renderia um post só para isso. Por enquanto deixo as dicas do site Pós-Graduando que são bem úteis e introdutórias, mas já vou avisando: você vai poupar muito tempo se fizer um projeto que seja uma continuação de seu TCC (converse com seu orientador a respeito, se puder);
  • Currículo Lattes atualizado;
  • Portfólio atualizado – todos os materiais que você já produziu (mesmo se não for um projeto, como artigos de pesquisa, etc.);
  • Documentos gerais, como o diploma de graduação (alguns programas aceitam inscrições de alunos que estão perto de defenderem seus TCCs – veja sempre os detalhes do edital).
  • Carta de aceite – alguns cursos exigem uma carta de aceite de algum professor que faz parte do corpo docente daquele Mestrado. Isso pode dificultar um pouco se você não tem contato algum com a Universidade em questão (como era o meu caso), mas nada como um contato sólido, via email, demonstrando seu interesse em ser orientado por tal professor. Na verdade serve como uma pré-orientação, mostrando para os responsáveis pelo processo seletivo que alguém se interessou em seu trabalho. Como saber qual é o melhor professor? Pesquise e terá a resposta!
Espero não ter esquecido de nada, mas se você tiver alguma dúvida deixe um comentário após o post que terei o prazer em ajudar. Quem sabe eu não faço uma lista com os melhores Mestrados em Urbanismo do Brasil? De qualquer modo, nosso blog vai divulgar os editais assim que forem divulgados. Fique atento, monte seu cronograma de trabalho e não perca tempo! Com certeza eu não teria passado sufoco se alguém tivesse dado essas dicas 😀

1 comentários:

Foodforthought. on 26 de junho de 2016 20:32 disse...

Ajudou mesmo!


Obrigada.

 
IAB Tocantins Copyright © 2009 Blogger Template Designed by Bie Blogger Template
Edited by Allan